O e-commerce precisa se reinventar para atender a um consumidor cada vez mais exigente e bem informado.

Pagar caro e esperar dias para receber a sua encomenda não faz mais parte dos planos de quem compra pela internet.

Grandes redes varejistas, aos poucos, vem buscando soluções logísticas inovadoras.

Neste artigo, vamos falar sobre como a Via Varejo, que administra as lojas online de Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, vem ganhando terreno com alternativas que agradam ao público.

Click & collect da Via Varejo

Click & collect é uma expressão em inglês que indica pontos de retirada.

Corresponde a opções de entrega diferentes da tradicional, que utiliza transportadoras ou mesmo os Correios para levar a mercadoria até o endereço do consumidor.

E a estratégia de click & collect da Via Varejo é, certamente, um case de sucesso aqui no Brasil.

Vamos falar um pouco mais sobre as modalidades que a empresa já adota ou pretende adotar em breve para aperfeiçoar os seus processos logísticos e vender mais.

Pick up store, a retirada na loja

A retirada direto na loja, ou pick up store, é uma realidade no mundo inteiro.

Por aqui, no entanto, ainda é um modelo tratado como inovador.

O Retira Rápido é o serviço da Via Varejo para a retirada em loja, que já atende com eficácia aos clientes de suas grandes redes.

Segundo dados da empresa, a cada minuto, quatro novos pedidos são resgatados nos estabelecimentos físicos.

Em um mês, isso representa a forma de entrega escolhida para mais de 200 mil vendas.

O uso de lockers

Uma alternativa ao pick up store são os lockers, uma espécie de armário para onde são levadas mercadorias adquiridas no e-commerce e, de lá, retiradas por seus compradores.

Nos Estados Unidos, principalmente, esse é um modelo que ganhou fama a partir da adoção pela gigante Amazon.

Já no Brasil, a Via Varejo tem uma estrutura de lockers especialmente instalada em postos de combustíveis na cidade de São Paulo.

Os armários são desbloqueados pelo cliente a partir de um código QR Code, com leitura realizada a partir do smartphone.

Eles funcionam no modelo de autoatendimento, 24 horas por dia. Ou seja, o próprio consumidor vai até o local e retira o produto, sem interagir com nenhum funcionário da loja.

Com o aumento da procura por essa modalidade, nos próximos meses, a Via Varejo deve aumentar o número de armários disponíveis para a retirada de mercadorias.

Os lockers serão instalados em áreas de grande circulação de pessoas, como estações rodoviárias, de trem e em grandes condomínios.

Entrega por Uber

O aplicativo de transporte mais utilizado atualmente também deve se tornar um parceiro logístico do e-commerce.

Ainda não está em uso, mas há planos para isso e, mais uma vez, envolve a Via Varejo.

A empresa pretende reduzir o tempo e os custos de entrega usando esse tipo de serviço.

Importante destacar também que há outros modais de distribuição de produtos em estudo, incluindo até mesmo a entrega a partir de bicicletas.

Retirada nos Correios

A proposta da Via Varejo é a ampliar sua rede de distribuição de mercadorias.

Para tanto, até setembro, as compras feitas pela internet poderão ser retiradas em um maior número de agência dos Correios.

Hoje, a parceria já deu início ao serviço em 540 locais, mas deve ser ampliada para 6.000 diferentes pontos espalhados por todo o país.

Como o seu e-commerce pode se beneficiar

É inegável que a Via Varejo vem inovando com alternativas logísticas.

Mas não há razão para o seu e-commerce ficar fora dessa tendência, a qual soluciona muitos dos problemas relacionados tanto à entrega quanto às trocas e devoluções de produtos.

O conceito de omnichannel, que integra os ambientes online e físico como se fossem um só, está cada vez mais em evidência.

É nele que se encaixam algumas das soluções já utilizadas pela Via Varejo e que podem estar ao alcance também da sua empresa.

Outro modelo, que é um pouco diferente do que praticam Extra, Casas Bahia e Ponto Frio, é o dos chamados pick up points.

São pontos de retirada sem vínculo com o e-commerce.

Ou seja, qualquer ponto comercial pode se credenciar como local de entrega e recebimento de encomendas de uma loja online.

É com esse modelo que trabalha a Pegaki, que é a pioneira e a maior rede de pontos de retirada do Brasil, com mais de 200 locais já ativos.

A Dafiti, que é o maior varejo online de moda da América Latina, já utiliza com sucesso essa proposta.

Ela é diferente e até mais completa do que os pick up stores justamente por não depender da existência de uma loja da rede perto do consumidor.

Veja, por exemplo, o caso do Rio Grande do Sul, onde não há lojas Extra, são raríssimas unidades das Casas Bahias e poucas do Ponto Frio.

Para o consumidor nessas condições, uma alternativa de retirada in loco fica mais distante.

Não é o que acontece quando o ponto de retirada é qualquer estabelecimento perto da sua casa.

Do que você precisa para usar os pick up points

Os pick up points dependem de um intermediador, que é quem gerencia e garante a segurança e a eficácia do processo.

No caso da Pegaki, todo o treinamento e o sistema para registro das entregas e recebimentos é fornecido aos pontos de retirada.

O consumidor chega ao local, apresenta seu documento e leva a compra para sua casa.

No mesmo instante, é realizada a baixa no sistema, podendo o e-commerce atualizar o status de entrega do pedido.

Os custos logísticos caem drasticamente, já que são menos locais que precisam ser acessados individualmente.

Ao mesmo tempo, para o estabelecimento físico, há maior fluxo de visitantes na loja, o que não raro resulta em vendas adicionais.

Se você deseja ter uma solução definitiva para entregas e processos de logística reversa, não há dúvidas de os pick up points são a melhor resposta.

Aprenda com a Via Varejo, veja como a empresa tem obtido ganhos expressivos e alcançado consumidores mais satisfeitos.

A oportunidade está diante de você também.

Conheça mais sobre a Pegaki e faça contato conosco.