A inovação no varejo funciona como um combustível para a sobrevivência e o crescimento de empresas.

Seja no meio online ou em lojas físicas, esforços nesse sentido não é mera perfumaria, o que significa dizer que produzem resultados reais.

Por outro lado, encontrar uma ideia inovadora pode ser difícil até mesmo para os maiores e mais experientes players do mercado varejista.

Seja qual for a sua realidade, neste artigo, você vai entender por que esse é um assunto de primeira urgência para o seu negócio e descobrir as soluções das quais precisa.

Inovação no varejo: por que é tão importante?

Não se pode negar que inovação é uma tendência.

Mas não se trata de modismo, embora sempre exista quem acredite em resultados sem planejamento.

A primeira justificativa para inovar está na competitividade do mercado.

Você certamente tem notado que a disputa pelos clientes no varejo tem se acentuado, não é mesmo?

Em 2016, a  Pesquisa Global Zurich PMEs, já identificava a concorrência como a principal preocupação de empreendedores, com 31,5% de citações e um aumento de 6% com relação ao levantamento anterior.

Dependendo do seu nicho de vendas, não há mais margem para erros na estratégia: ou você encontra um diferencial que o coloque à frente dos demais, ou corre o risco de sucumbir.

Também deve considerar que estamos diante de um novo perfil de consumidor, “mal acostumado” pela tecnologia e seus avanços.

A era online tornou a vida dos compradores muito mais fácil.

Se o seu negócio não inova e segue investindo nas mesmas estratégias de outrora, tem grandes chances de oferecer soluções obsoletas e ser engolido pela concorrência.

Não significa apenas disponibilizar algo novo, mas que enfrente e resolva a vida do consumidor, o que é próprio dos esforços de inovação no varejo.

Considere ainda a sua capacidade específica de responder a imprevistos.

Veja, por exemplo, a recente greve dos caminhoneiros e seus efeitos: primeira queda nas vendas em 2018, com recuo de 0,6% em maio.

A partir daí, faça uma reflexão: o quão preparada a sua loja está para responder a situações que fogem da normalidade, até mesmo para que o faturamento não seja comprometido?

E por falar em finanças, um último motivo para apostar na inovação no varejo: ela é capaz de tornar a sua empresa mais produtiva e eficiente, reduzindo custos e elevando os lucros.

Como inovar no varejo?

Convencido sobre a necessidade de inovar?

Se deseja rever suas práticas e propor novas estratégias de marketing e vendas, em primeiro lugar, saiba que não existe uma receita única a todos os negócios.

É imprescindível levar em conta as particularidades da sua loja, pois cada uma responde de sua forma às necessidades do consumidor, que também são próprias do seu público-alvo.

Por outro lado, há soluções no mercado que se aplicam bem ao varejo em geral.

No mínimo, devem ser consideradas no seu planejamento para se manter forte frente à concorrência e vivo na mente dos clientes.

Vamos descobrir quais são elas?

Prestação de serviços

Não se trata de mudar seu ramo de atuação, mas sim a perspectiva do negócio.

Cada vez mais, estabelecimentos comerciais são também prestadores de serviços, o que significa dizer que não apenas vendem mercadorias, mas entregam soluções aos consumidores.

Essa inovação no varejo aparece na escolha do mix de produtos e na oferta de serviços combinados a eles.

Veja como exemplo lojas de móveis que oferecem ainda o projeto e a instalação.

Também home centers que disponibilizam cursos sobre as mais variadas demandas de construção e decoração.

Seja qual for o seu nicho, vale conhecer mais sobre o conceito que combina produtos e serviços integrados, também chamado de services retails.

Inteligência artificial

Especialmente no e-commerce, esse é um caminho quase obrigatório.

O principal exemplo de uso da inteligência artificial no varejo online está nos chatbots.

É um tipo de assistente virtual que conduz o atendimento ao consumidor de forma mais humanizada, se comunicando e interagindo com o público por meio de mensagens de texto automatizadas.

Uma de suas características está no funcionamento ativo, já que o visitante do site nem sempre está à procura do chatbot, que surge muitas vezes a partir de uma pequena janela pop up.

O sistema inteligente é capaz de registrar o que o usuário escreve, processar as informações e dar respostas muito próximas do que seria uma pessoa real.

Prateleira infinita

É chamada de prateleira infinita a integração de estoques em lojas que atuam tanto no varejo físico como virtual.

Nesse caso, as mercadorias são tratadas como uma coisa só, sem distinção conforme a origem da venda.

O conceito também compreende a oferta de itens mesmo quando não disponíveis fisicamente.

É o caso, por exemplo, de lojas físicas que possuem unidades diferentes e consideram os seus estoques como um só.

Omnichannel

Omnichannel é uma proposta de integração online e offline do atendimento às vendas.

Consiste em oferecer uma mesma experiência de consumo, ainda que por canais diversos no varejo.

O cliente que compra em loja virtual e retira o produto em loja física faz parte do que se chama de experiência omnichannel.

O mesmo ocorre quando ele escolhe um locker para a retirada da mercadoria.

Esse é um armário físico, posicionado em pontos estratégicos, que o consumidor acessa individualmente a partir de um código que recebe após a compra online.

Como fica claro, a característica principal do omnichannel é que as decisões cabem ao consumidor, seja para comprar, receber ou devolver o item.

Economia compartilhada

O conceito de economia compartilhada sugere parceria, com o envolvimento de diferentes atores em uma operação.

Como isso se aplica ao varejo?

Um ótimo exemplo são os pontos de retirada, também chamados de pick up points ou click & collect.

São lojas físicas que atuam como espaços para entregas, trocas e devoluções de itens adquiridos no e-commerce, mesmo não tendo qualquer vínculo com a loja online.

Esse tipo de inovação no varejo faz muito sucesso fora do Brasil, mas também já está presente por aqui.

A Pegaki é a primeira e a maior rede de pontos de retirada do país, atuando como intermediária entre os lojistas.

Ganha o e-commerce (com novas soluções logísticas), também o varejo físico (com maior fluxo de pessoas e vendas adicionais) e o consumidor (com serviços mais práticos e eficientes).

Inove você também

Neste artigo, falamos sobre a importância da inovação no varejo e apresentamos exemplos para a sua loja oferecer ao público soluções diferenciadas.

Essa é uma oportunidade para crescer como alternativa junto ao consumidor e se posicionar à frente da concorrência.

Se você quer levar seu negócio ao próximo nível, este é o momento de se render aos benefícios dos pontos de retirada.

Construa novas parcerias, satisfaça seus consumidores e conquiste novos clientes com essa proposta omnichannel.

A Pegaki está pronta para posicioná-lo nesse novo mercado.

Faça contato conosco.