Seu e-commerce já projeta o uso de pick up points?

Caso a resposta seja negativa, pode acabar perdendo oportunidades em breve.

Esse é um modelo logístico inovador.

E os números observados no mundo todo comprovam.

No Brasil, os chamados pontos de retirada ainda se posicionam como uma tendência.

No exterior, porém, não faltam motivos para afirmar que são a solução definitiva para problemas relacionados a entregas, trocas e devoluções de mercadorias.

Os pick up points surgiram para revolucionar a logística no comércio eletrônico.

E, a partir de agora, você vai entender por que não pode mais ignorar essa realidade.

Pick up points: o conceito

Pick up points, click & collect ou pontos de retirada, são diferentes nomenclaturas para um mesmo serviço.

Eles se referem a locais físicos que interagem e complementam demandas das lojas virtuais.

São estabelecimentos comerciais conveniados, nos quais o consumidor faz a retirada da mercadoria adquirida no e-commerce, em dia e horário de sua preferência.

É também para lá que ele leva itens de troca ou devolução, o que soluciona demandas de logística reversa.

O sucesso dos pick up points no mundo

Há muitos cases de sucesso de estratégias de pick up points pelo mundo.

Antes de falar mais detalhadamente sobre eles, vamos entender com fatos e números a ascensão e, por que não, revolução do modelo no exterior.

Onde os pontos de retirada são imprescindíveis

No Reino Unido, a Advantec perguntou nesta pesquisa, realizada no ano passado, qual seria o método de escolha preferido em alternativa ao recebimento em casa de compras no comércio eletrônico.

Em primeiro lugar, ficou a opção de pick up points, com 54%.

Em segundo, bem atrás, a entrega no local de trabalho, com 21%.

Também entre os britânicos, estudo da Cybertill, divulgado pela Forbes, apontou que 72% dos entrevistados já utilizaram pontos de retirada.

Além disso, 17% sequer realizariam a compra se não houvesse a possibilidade de uso desse serviço.

Tendência é de dados ainda mais positivos

Ao observar os números já citados, fica fácil concluir sobre a importância dos pontos de retirada para o comércio eletrônico.

Mas há outros dados que mostram que esse é só o começo da revolução logística.

Não parece haver limites para a expansão desse modelo de entrega de mercadorias.

Uma prova disso vem do estudo da IRI Worldwide, sobre o qual você pode ler neste link.

A empresa focou sua pesquisa apenas no comércio eletrônico de bens de consumo.

E não obteve números menos expressivos.

Ela diagnosticou a alta satisfação de quem usa pick up points: 68% disseram que iriam “definitivamente” usar o serviço novamente, enquanto 23% “provavelmente” fariam isso também para a compra de itens do dia a dia.

Benefícios no online e offline

Você certamente já ouviu falar da UPS e do seu trabalho na área de transporte expresso.

Mas a empresa também atua com pick up points fora do Brasil.

Recentemente, ela divulgou este estudo, no qual identificou que 50% dos entrevistados enviam suas compras para pontos de retirada.

E mais: dentre eles, 46% fazem compras adicionais enquanto pegam seus itens.

Também observou que 60% preferem devolver itens em uma loja física, oportunidade na qual 70% deles fazem compras adicionais.

É ou não é uma grande oportunidade online e offline?

“Proporcionar uma experiência excepcional na loja pode posicionar o varejista para converter mais vendas e aumentar a fidelidade quando os clientes retiram e devolvem itens”, afirmou Teresa Finley, diretora de marketing da UPS, sobre os resultados do estudo.

No mesmo sentido, vale citar ainda o relatório Future of Retail, da Walker Sands (confira a íntegra neste link).

Conforme o levantamento, quanto mais as pessoas escolhem o e-commerce para suas necessidades de consumo, mas elas fazem uso dos pick up points.

Entre outras descobertas, o relatório aponta que 60% dos consumidores assíduos em lojas online compram novos produtos ao fazer a retirada em um ponto de click & collect.

É quatro vezes mais do que ocorre com consumidores que fazem compras esporádicas na web, algumas vezes por ano.

No já citado estudo da Cybertill, entre os britânicos, 65% dos consumidores disseram levar itens adicionais nos pontos de retirada.

Ainda sobre os ganhos das lojas físicas, a pesquisa da IRI também trouxe sua contribuição.

Segundo ela, o percentual de consumidores que acabaram comprando itens adicionais em locais de click & collect foi de 69%.

Por que pick up points?

Interessante observar ainda as razões pelas quais as pessoas preferem o modelo de pick up points para retirar suas compras online.

Sobre isso, podemos citar relatos de duas pesquisas já mencionadas.

Conforme o estudo da Cybertill, entre as principais justificativas, 75% disseram ser pela conveniência e 74% pela entrega gratuita.

Já a IRI Worldwide apurou que 69% usam o serviço para evitar cobranças pelo envio.

Também foram citadas por grande parte dos entrevistados a economia de tempo, já que o consumidor escolhe quando e onde retirar sua mercadoria, além de fazê-lo rapidamente.

Empresas que fazem sucesso com pick up points pelo mundo

Estados Unidos, China, Austrália e a Europa como um todo são alguns dos principais mercados para o modelo de pontos de retirada atualmente.

Nesses locais, como as próprias pesquisas atestam, não existe mais comércio eletrônico sem falar em pick up points.

A solução apresentada pelas empresas do setor é tão relevante que, muitas delas, vem acumulando índices de crescimento ano após ano, além de prêmios e faturamento em alta.

Selecionamos alguns desses cases de sucesso para que você entenda, mais uma vez, como os consumidores no mundo todo querem e exigem o click & collect.

Parcel2Go.com

A inglesa Parcel2Go.com, sediada em Bolton, é a prova concreta de como o serviço de pick up points está sedimentado no Reino Unido.

O que ela oferece, basicamente, é uma plataforma online que compara valores de entregas de encomendas.

Funciona de forma parecida com a que você utiliza hoje para encontrar uma hospedagem pelo menor preço.

O modelo de negócio fez tanto sucesso que, em 2011, a Parcel2Go.com já era uma das 100 empresas de tecnologia que cresceram mais rápido no mundo, de acordo com o relatório Sunday Times Tech Track 100.

Além do baixo custo, um dos diferenciais que cativou consumidores foi a possibilidade de a mercadoria ser direcionada ao local de entrega e retirada no mesmo dia da solicitação.

Chronopost

Em Portugal, o título de melhor empresa de transporte expresso do país em 2017 foi para a Chronopost e sua rede de pick up points, recebendo cinco estrelas na categoria de entrega de encomendas em lojas de proximidade.

A premiação não chega a ser surpresa, já que a conquista se repete há três anos.

Com 600 pontos de retirada espalhados pelo país (e 30 mil em toda a Europa), a empresa recebeu classificação de 81,1% de satisfação global.

Mas o sucesso não se baseia apenas em prêmios, como em faturamento.

Nos primeiros nove meses do ano passado, seu crescimento foi de 11,5%.

Além disso, a Chronopost já alcançou a liderança do mercado, com mais de 19 milhões de encomendas transportadas e entregues – uma meta inicialmente prevista para 2020.

Relais Colis

Na França, a Relais Colis é um destaque do modelo de pick up points.

Muito disso se deve aos números expressivos que a empresa conquista ano após ano.

Em 2012, por exemplo, seu faturamento alcançou 120 milhões de euros (quase R$ 500 milhões).

São cerca de 30 milhões de encomendas entregues por ano.

E o mais impressionante: 83% da população está ao alcance em apenas 10 minutos graças aos seus pontos de retirada.

Não por acaso, a Relais Colis recebeu o reconhecimento de seus clientes com 73% de notoriedade e 97% de satisfação.

ParcelPoint

Na Austrália, a maior empresa de click & collect é a ParcelPoint, cuja rede de estabelecimentos conveniados ultrapassa o número de 1.500 lojas físicas.

Ela não apenas agrega pontos de retirada ao comércio eletrônico, como funciona como uma plataforma completa para a gestão logística de entregas e devoluções.

Interessante ainda citar dados que a empresa usa para justificar o uso de pick up points por seus clientes.

Entre eles, estão as seguintes considerações:

  • 40% dos consumidores online comprariam mais se não houvesse chance de perder uma entrega
  • 60% têm problemas para receber uma entrega pessoal no trabalho
  • 53% não querem pacotes deixados à sua porta.

Parcelly

Outro expoente britânico em click & collect é a Parcelly, empresa com sede em Londres, fundada em 2014 e que hoje conta com mais de 1.500 pontos de retirada na Inglaterra.

A empresa define a sua abordagem como inovadora, inteligente, escalável, altamente econômica e solucionadora para os principais problemas logísticos no varejo.

Em um dos mais recentes passos nesse sentido, a Parcelly fechou parceria com a Hull University Student’s Union, oferecendo o serviço de pick up points para os seus 16 mil alunos no próprio campus da universidade.

Um dos aspectos que mais chamam atenção na empresa é a quantidade de prêmios importantes que recebe.

O mais recente deles foi o DHL Sharing Economy Challenge Award 2017, na Alemanha, o que atesta o reconhecimento internacional sobre a marca.

CollectPlus

Outra britânica de respeito é a CollectPlus, a primeira no Reino Unido a oferecer o serviço de pontos de retirada.

Fundada em 2009, hoje a empresa conta com mais de 6.000 locais em sua rede de pick up points.

Com tamanha presença, a ColletcPlus alcança 90% da população urbana do Reino Unido em até uma milha de distância – o que dá 1,6 quilômetro.

São mais de 400 mil encomendas processadas por semana, em média.

Mas o recorde da empresa remete a setembro de 2016, mês no qual movimentou nada menos do que 75 milhões de encomendas.

Doddle

Não é à toa que algumas das principais empresas de pick up points do mundo estão na Inglaterra, pois lá o serviço está completamente integrado à rotina de vendas online.

E entre essas empresas, a Doddle se define como “a próxima geração em tecnologia click & collect”.

De fato, ela se destaca muito em razão de seus diferenciais.

Um dos mais recentes deles se deu com o lançamento do Powered by Doddle, uma solução para o e-commerce que vai do software ao treinamento de varejistas.

Sobre a empresa britânica, vale ainda citar dois dados muito interessantes e úteis também para a realidade do comércio eletrônico no Brasil.

Afinal, como você deve saber, tanto as vendas como as devoluções no período de Natal são intensas – um pesadelo do ponto de vista logístico.

Na Doodle, o pico das encomendas ocorreu em um 21 de dezembro, quando houve uma média de uma coleta a cada quatro segundos.

Já sobre as devoluções, o recorde se deu em um 4 de janeiro, com volume 140% acima do registrado em um dia normal.

Dá para imaginar quantos transtornos ocorreriam sem um eficiente serviço de pick up points.

Pegaki: pontos de retirada no e-commerce brasileiro

O Brasil ainda dá seus primeiros passos na adoção dos pick up points como solução logística para o e-commerce.

Ainda há poucas empresas em atuação no país e com modelos de negócios variados.

A Inpost e a EasyPost trabalham com lockers, espécie de armário que o cliente “destrava” ao informar seu código, que é único e exclusivo para cada compra.

A Retira Rápido é um serviço da CNova, responsável pelos grupos Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, sendo ele exclusivo para essas lojas.

Lojas como Magazine Luiza, Saraiva e Decathlon, utilizam o modelo de retirada em suas próprias lojas físicas, o que já representa em média 20% de todas as compras online.

Mais diretamente no ramo de pick up points, a Pegaki é a primeira e maior rede de pontos de retirada do Brasil.

Como uma empresa de base tecnológica, focada em eficiência e custo-benefício, a Pegaki implantou a novidade inicialmente em São Paulo, onde tem 100 pontos de retirada já ativos.

Além desses, há mil novos locais sendo preparados para receber entregas e devoluções do comércio eletrônico em breve.

Já tendo realizado mais de 4mil entregas e em operação com diferentes e-commerces brasileiros, de pequeno a grande porte e diferentes segmentos. Conta também com uma parceria com uma das principais transportadoras do Brasil, a Transfolha (Grupo Folha) que realiza a coleta e entrega em seus pontos de retirada.

Por que você precisa de pick up points

Até aqui, falamos do mercado e de empresas que atuam com redes de pick up points, também chamados de pontos de retirada ou click & collect.

Para quem está à frente de um e-commerce, porém, é preciso saber mais.

Há boas razões para esse modelo de negócio estar em alta no mundo todo, já consolidado em alguns países e crescendo de forma significativa em outros.

Quer ver só?

  1. Experiência omnichannel: integração total entre lojas virtuais, físicas e consumidores
  2. Entregas sem falhas: cliente recebe a mercadoria comprada onde e quando quiser
  3. Logística reversa: trocas e devoluções conduzidas de forma positiva e transparente
  4. Clientes: solução eleva satisfação dos atuais consumidores e atrai atenção de novos
  5. Vendas: cliente satisfeito compra mais na loja online e na física, ao retirar ou devolver mercadorias.

Pick up points: a hora é agora

Os grandes e-commerces no Brasil já perceberam a necessidade de contar com pontos de retirada em estabelecimentos parceiros.

Nem todos ainda oferecem o serviço, mas a movimentação e interesse é inegável.

Assim como registrado no exterior, é esperado que, a cada ano, mais e mais consumidores optem por esse serviço para retirar ou devolver mercadorias adquiridas na internet.

No momento, quem se organizar e aderir aos pick up points ainda sai na frente da concorrência.

Logo, dar tal passo será uma exigência do mercado para se manter forte.

O que está esperando?

A Pegaki é a primeira e maior rede de pontos de retirada do Brasil.

Essa startup conta com estabelecimentos comerciais parceiros em mais de 100 locais apenas na cidade de São Paulo, enquanto outros mil vêm sendo preparados.

Para o seu e-commerce, a hora é agora.

Faça contato conosco.