elemento flutuante

Como reduzir o prazo de entrega e ganhar o cliente

O prazo de entrega está entre os aspectos mais importantes para o consumidor ao fazer uma compra online. Para 14%…

Pegaki

11 de julho de 2022

9 min. de leitura

O prazo de entrega está entre os aspectos mais importantes para o consumidor ao fazer uma compra online.

Para 14% dos brasileiros, a decisão de compra depende diretamente do quão rápido uma encomenda chega, segundo uma pesquisa da Opinion Box.

Ou seja, não dá para errar na hora definitiva, que é quando o cliente tem contato com o produto e avalia em quanto tempo a compra chegará.

Rapidez é fundamental, mas ela precisa andar de mãos dadas com a qualidade, já que um produto entregue com defeito causa ainda mais prejuízo do que um atraso.

Avance na leitura e entenda como estruturar o seu delivery para entregar com mais agilidade e superar as expectativas do seu cliente.

Prazo de entrega: como impacta seu negócio?

Como mostram as estatísticas, a agilidade na entrega não é um luxo, mas uma necessidade, um pressuposto para vender bem.

A entrega rápida e no formato escolhido pelo cliente influi na decisão de compra, o que justifica desenvolver uma estratégia específica para isso.

Pensando nisso, você poderia questionar se há margem suficiente para o negócio, considerando apenas um tipo de entrega, em domicílio.

A maioria das empresas ainda trabalha com esse único modelo, o que as expõe a certos riscos.

O ideal é dispor de uma rede muito bem articulada de distribuição, que garanta entregas ágeis não importa onde o cliente esteja, sem se preocupar com isso.

Uma maneira de fazer essa articulação é mapear cada etapa do processo de distribuição, como veremos a seguir.

Etapas da entrega em e-commerces e marketplaces

O comércio eletrônico pode se estruturar de diferentes formas, mas, no final, o processo de distribuição é muito parecido.

Seja uma loja virtual independente ou hospedada em um marketplace, alguém terá que levar o produto ao consumidor final.

Portanto, já larga em vantagem a loja que se mostrar mais eficiente em cada uma das fases da distribuição de produtos.

Entenda o que acontece em cada uma delas.

  • Separação e coleta da mercadoria: fase preliminar em que o pedido online do cliente gera uma mobilização no estoque, em operações de picking e packing
  • Definição da rota de entrega: uma vez que os veículos estejam carregados, é hora de traçar a rota a ser percorrida, articulando com os que saem do CD
  • Transporte para o Centro de Distribuição (CD): a primeira etapa do transporte é a saída do estoque para o Centro de Distribuição
  • Distribuição dos produtos: a partir dos CDs, os produtos enfim começam a percorrer o trecho conhecido como Última Milha (Last Mile)
  • Confirmação da entrega: finalmente, o consumidor recebe o produto solicitado no ponto de entrega previamente definido.

O que fazer quando o prazo de entrega não é cumprido?

Operar logisticamente implica lidar com diversos riscos a que todo e-commerce está sujeito.

Veículos avariados, acidentes e sinistros em geral concorrem para retardar as entregas.

Portanto, todo lojista precisa se antecipar a esse tipo de imprevisto.

Um produto que deixa de ser entregue no prazo pode motivar um cancelamento por parte do cliente.

No entanto, isso não significa que o lojista está de mãos atadas.

Pelo contrário, com planejamento e atenção, é possível reverter a má impressão causada por um atraso.

Tudo começa com a definição de uma política de devoluções e trocas, que exigem uma infraestrutura em logística reversa.

É preciso também cuidar do relacionamento com o cliente, que deve ser informado em tempo real do progresso da entrega de ponta a ponta.

Como reduzir o prazo de entrega nas vendas online

Tráfego pesado, pedágios e mau estado de conservação das vias públicas são alguns dos problemas recorrentes para quem transporta produtos em território brasileiro.

Diante de tantos desafios, pode parecer uma verdadeira “missão impossível” garantir prazos de entrega mais curtos. Felizmente, essa tarefa não tem nada de impossível.

Com as medidas de controle certas, a rapidez na distribuição está ao alcance de todos.

Nesse aspecto, a união realmente faz a força, por isso é que destacamos como medida prioritária as parcerias com outras empresas.

Terceirize as operações

O Brasil é um verdadeiro país-continente, com um território quase do tamanho da Europa inteira.

Se você pretende vender em todos os 27 estados, então precisará contar com uma rede de distribuição muito bem articulada para chegar até os pontos mais distantes.

A melhor maneira de fazer isso é terceirizando suas operações logísticas, tanto no aspecto do transporte quanto na parte do estoque e distribuição.

Assim operam os e-commerces que trabalham nos sistemas de subcontratação e redespacho, por exemplo.

No primeiro, a transportadora que cuida das entregas subcontrata uma terceira para realizar o serviço.

Já no redespacho, a transportadora leva o produto a um ponto A, onde é coletado por outra transportadora, que o leva a um ponto B.

Daí, uma terceira empresa leva a encomenda até o ponto C, onde está o cliente final.

Supervisione as atividades

Por mais que os parceiros sejam de confiança, delegar a terceiros a responsabilidade pelas entregas envolve alguns riscos.

O maior interessado em que o produto chegue ao consumidor no prazo acordado e em ótimas condições é você, lojista, então vale acompanhar cada entrega realizada.

Isso não quer dizer que você precisa monitorar as operações o tempo todo.

O ideal é fazer uma lista de “checkouts” em que as transportadoras informem em tempo real o progresso do transporte.

Dessa forma, você mostra que está atento, o que é bom para os seus parceiros de negócio, que sentem que podem contar com o lojista se precisarem.

Comunique-se interna e externamente

A distribuição de produtos envolve uma grande quantidade de agentes.

Uma compra no e-commerce mobiliza uma rede de operações para retirá-lo do estoque e, em seguida, fazer a sua reposição.

Nas transportadoras, um pedido dá início a toda uma movimentação de frota, que demanda um custo operacional com combustível, pedágio e seguros.

Todo esse mecanismo de operações precisa ser muito bem articulado para que, no final, o pedido chegue ao seu destinatário.

Por isso, é fundamental que o e-commerce esteja sempre se comunicando, não só com o cliente, mas com cada uma das partes envolvidas no processo.

Olho vivo no estoque

Essa é uma observação que se aplica mais aos que têm lojas próprias, afinal, os marketplaces trabalham com estoques próprios que não estão a cargo do lojista.

Se no seu caso, o estoque é independente ou até mesmo terceirizado, é fundamental garantir que ele disponha das mercadorias expostas na sua loja.

Na primeira situação, vale fazer inventários periódicos para assegurar que o giro do estoque não está acelerado demais, a ponto de faltar produtos.

Se o seu e-commerce conta com uma solução terceirizada, não deixe de verificar com a empresa parceira se ela oferece meios para monitorar o status das suas prateleiras.

Rastreie as entregas

O rastreamento é fundamental porque se trata de uma forma de garantir a comunicação entre os agentes de transporte e com o cliente, enquanto a entrega está acontecendo.

A tecnologia tem um papel essencial nesse aspecto, já que é a partir dos dispositivos instalados nos veículos que você e seu cliente são informados sobre o andamento da entrega.

Isso sem contar que o rastreamento ajuda a monitorar eventuais desvios de rota, permitindo assim fazer correções em tempo hábil.

Relacione-se bem com os bons fornecedores

Fornecedores que entregam produtos de qualidade e nos melhores prazos são meio caminho andado para garantir a satisfação do cliente.

Portanto, procure estimular uma relação de parceria com eles, evidenciando sempre que possível a confiança depositada.

Lembre-se de que o seu e-commerce depende de uma rede de fornecimento bem estruturada para ter acesso a produtos de qualidade.

Encontrar um fornecedor à altura nem sempre é uma tarefa simples, considerando também que um novo parceiro ainda não conhece tão bem suas operações.

Por isso, trate bem seus parceiros, honrando os compromissos assumidos e, se possível, dividindo com eles parte dos seus lucros.

Avalie os riscos

Estruturar operações logísticas, como vimos, implica assumir os muitos riscos inerentes ao transporte de mercadorias, principalmente no modal rodoviário.

Além do tráfego, das estradas precárias e da falta de infraestrutura, é preciso considerar o problema dos roubos e furtos de cargas, mais frequentes nas grandes metrópoles.

Tudo isso encarece o transporte, especialmente em relação aos custos com seguros e, em alguns casos, com serviços de escoltas armadas.

Use pontos de coleta

A redução dos prazos de entrega também depende da disponibilidade do cliente em receber suas encomendas.

Entregar em domicílio, nesse sentido, pode representar uma limitação, já que nem todos conseguem estar em casa para receber uma entrega.

Uma solução para isso é direcionar as encomendas para pontos de coleta designados pelo cliente.Essa é uma dica valiosa para revolucionar o seu e-commerce.

Com os pontos de coleta, você consegue entregar mais rápido, com menos preocupação e com liberdade para vender mais.

Entrega rápida e segura com a Pegaki

O sistema de pontos de coleta, também conhecido como Pick Up & Drop Off (PUDO), agiliza as entregas enquanto amplia a capacidade de distribuição.

Com esse método, estabelecimentos comerciais atuam como pontos de entrega de mercadorias, recebendo os produtos das transportadoras e repassando-os aos consumidores.

Assim, você não precisa ir até a porta do cliente para garantir uma entrega segura, rápida e eficiente.

Envie suas vendas com comodidade, a preços muito mais competitivos, com as nossas soluções logísticas!

Faça parte da nossa rede de lojas parceiras e aumente seus lucros!

Deixe seu comentário

Pegaki

11 de julho de 2022

9 min. de leitura

Inscreva-se em nossa newsletter

E receba por e-mail nossos conteúdos sobre Transporte e Tecnologia.